terça-feira, 6 de janeiro de 2009

"Quantas vezes a insônia é um dom. De repente acordar no meio da noite e ter esta coisa rara: solidão. Quase nenhum ruído. Só o das ondas do mar batendo na praia. Toda sozinha no mundo. Ninguém me interrompe. É um nada há um tempo vazio e rico. Depois vai amanhecendo. (...) O mar é meu, o sol é meu, a terra é minha. E sinto-me feliz por nada, por tudo".
Clarice Lispector

A vida sempre nos surpreendi as vezes com coisas boas outras nem tanto...mas o que me faz acreditar nela é o fato de podermos sempre nos recriar, refazer nossa história.
Ao longo da vida perdemos muitas coisas...o carinho dos avós que vão para o céu, o primo que parte derrepente, o amigo que vai cedo demais e nos deixa com uma saudade imensa e um nó na garganta...se perde o bichinho de estimação que amávamos tanto, se perde a inocência de criança, se perdem amores...mas de tudo isso fica uma coisa: as lembranças e essas são eternas em nossos corações!

Minha dica de cinema: Marley e Eu. Filme muito comovente que nos faz refletir sobre tudo que escrevi.

Boa Quarta-Feira

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Dois Anos Depois...

Poxa eu nem lembrava mais que tinha um Blogger. Geralmente começamos um e depois cai no esquecimento!
Aconteceu tantas coisas nesses últimos dois anos que não daria para escrever tudo...resumindo foi tudo muito bom! O que já é lucro...vi tantos filmes, que ao longo do tempo passarei minhas dicas de dvd,s. Bom têm também os seriados que amo...mas Supernatural é o melhor que já vi até hoje. Adoro!!!
Continuo "amante" de uma boa poesia e odiando falsidade e maus tratos a animais.
Ah!!! Adotei mais alguns gatos e mudei de casa.
Bom era isso...voltei!!!
Boa Terça-Feira
"O amor nos tira o sono, nos tira do sério, tira o tapete debaixo dos nossos pés, faz com que nos defrontemos com medos e fraquezas aparentemente superados, mas também com insuspeitada audácia e generosidade. E como habitualmente tem um fim - que é dor - complica a vida. Por outro lado, é um maravilhoso ladrão da nossa arrogância./ Quem nos quiser amar agora terá de vir com calma, terá de vir com jeito. Somos um território mais difícil de invadir, porque levantamos muros, inseguros de nossas forças disfarçamos a fragilidade com altas torres e ares imponentes./ A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura./ Às vezes é preciso recolher-se".
LYA LUFT