domingo, 20 de junho de 2010

Nem Certo, Nem Errado

Como sempre não saio daquela velha história da gangorra!
Eu sei o que fazer, mas nao sei como fazer... Aliás, não sei se quero fazer!
Nosso futuro pode ser diferente, mas quero sentir esse presente cada vez mais forte em nós.
Hoje senti o quanto você me faz bem quando estou mal.
Não, não é amor. Mas é um bem querer tão grande que não me deixa partir e te deixar, mesmo que seja pelo nosso bem. Talvez isso seja o nosso bem, ou pelo menos o seu.
Mas talvez só eu saiba o quanto você mudou durante esses 11 meses, talvez só eu saiba o quanto você ainda quer mudar, crescer e ser diferente. Talvez só eu saiba o quanto você se controla pra não ser o cafajeste que você é de natureza, porque você joga limpo. Não promete falso amor. E, mais que tudo, talvez nem nós saibamos o porque disso tudo estar acontecendo, só sabemos o quanto isso faz bem um pro outro e o quanto não sabemos dizer tchau um pro outro. E nisso tudo a gente vai se levando do jeito que dá, se vendo do jeito que pode e fazendo o que o dia nos permite.