quarta-feira, 28 de julho de 2010

Eu Sempre sou a Alice!


Onde está esse amor? Eu não posso vê-lo, não posso tocá-lo. Eu não posso senti-lo. Eu posso ouvi-lo. Eu posso ouvir algumas palavras, mas eu não posso fazer nada com suas palavras fáceis.


Eu não te amo mais. Tchau.



Alice-Closer, Perto Demais.

Você me Perdeu!

Talvez quando você sonhar em me querer, eu já tenha encontrado alguém que me queira. Talvez quando precisar de mim, eu já tenha desfeito a vontade de lhe ajudar. Quem sabe quando você perceber que eu existo, eu já tenha desaparecido do seu alcance. E se por acaso algum dia quiseres me amar, talvez esse dia meu amor tenha sido transformado em amizade. Quando seus olhos sentirem falta de uma luz, assim como eu queria ter e não podia. Talvez você também não vai poder ter. Talvez quando nossos caminhos brilharem por uma única estrela eu já não tenha amor por você! E se por obra do destino eu passar com outro na sua frente saiba que esse foi quem me segurou com as duas mãos na hora de me ajudar. E se um dia sentires que está sofrendo por um amor não correspondido: CALE-SE! Pois ontem eu também sofri por um amor não correspondido, o seu! E quando você perceber que sofre porque me ama, talvez você tenha que se concentrar nestas palavras: VOCÊ ME PERDEU!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Garotas Lunáticas!


"São elas, as garotas aventureiras, poetisas, guerreiras, lunáticas! Passam despercebidas por a maioria das pessoas, porque elas não enxergarem o charme de uma pessoa com inteligência. Gostam de ler, escrever e amam a natureza! Não sem importam com o que os outros falam, não gostam desse sistema de gente que mata por dinheiro, gostam de conteúdo e não de marcas caras e coisas fúteis, viajam longe sem sair de onde estão. Possuem um próprio mundo surreal cheio de amor e doçuras onde elas cantam, pintam, escrevem, amam e encantam. Querem viver de paz, música e amor.Lunáticas têm um jeito diferente das outras garotas tanto no modo de pensar quanto de agir."

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Passo a Passo


Não tem mais você tirando sarro quando eu não aguentava a dor no peito e te dizia no escuro que era mais ou menos amor mesmo. Porque era. Porque é. Se você soubesse o estado que estou agora, zumbi, pegando detalhes seus por aqui, e doendo tanto que nem sei mais por onde começar.(...)Se você pudesse ver agora, tão pequena, tão desesperada, tão apaixonada, você me diria tantas coisas horríveis de novo? Se você visse como flutuo pela casa sem conseguir pisar no chão porque dói demais você não estar aqui, você diria novamente que eu peso demais?Me perdoe pelos meus mil anos à frente dos nossos segundos e pela saudade melancólica que eu senti o tempo todo mesmo sendo nossos primeiros momentos.

TB